Document Type

Article

Publication Date

6-2014

Department

Spanish

Language

Portuguese

Publication Title

Hispania

Abstract

Este ensaio considera a representação da experiência judaica brasileira em O Ano em que meus pais saíram de férias (2006) do diretor brasileiro Cao Hamburger. O filme retrata complexas questões identitárias através de uma perspicaz, e um pouco romantizada, história de imigração invertida. Uma criança brasileira, Mauro, é forçada a ter uma experiência de exílio em uma comunidade judaica, à qual ele antes não sabia que pertencia. Ao longo do enredo, Hamburger aproveita a circunstância especial de Mauro para meditar sobre o que significa ser judeu no Brasil, e desta maneira tenta vincular os critérios que diferentes povos usam para determinar a 'autenticidade' de pessoas estranhas com os preconceitos, estereótipos, sentimentos de xenofobia e pressões de assimilação que as dinâmicas identitárias tendem a gerar. O filme invoca a moda do multiculturalismo e o polêmico mito de 'democracia racial' no Brasil para demonstrar a natureza relativa das noções de exilados, originários e forasteiros.

Comments

This published version is made available on Dickinson Scholar with the permission of the publisher. For more information on the published version, visit The American Association of Teachers of Spanish and Portuguese's Website.

DOI

10.1353/hpn.2014.0050